Publicidade

As exportações brasileiras de frutas tiveram um aumento de 10,7% nos primeiros 9 meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado.

Em 2020, o Brasil era o maior exportador de frutas da Costa Leste da América do Sul, exportando 52% do total, seguido pela Argentina, exportando 41%, e pelo Uruguai, exportando 7%. O Brasil também lidera as importações de frutas, importando 86% de todas as frutas para a região, seguido pela Argentina (9%), e Uruguai (6%). Apesar disso, a quantidade de frutas exportada pelo Brasil, em 2020, é muito superior às importações: 46.767 TEU exportados contra 8.217 TEU importados.

A Holanda foi o principal destino das frutas brasileiras entre janeiro e setembro de 2020, com um crescimento de 9% na comparação com igual período de 2019. Em segundo lugar está o Reino Unido, que aumentou suas importações em 2020 em 14%. O maior aumento, porém, está no volume exportado para a Rússia, que foi 169% a mais que em 2019. Em seguida, veio a França, cujas importações cresceram 145% em relação ao ano anterior. Na contramão, as exportações para a Arábia Saudita caíram 68%, e queda de 59% na Ucrânia, em relação a 2019.

A categoria ‘melão, melancia e mamão’ foi a categoria de frutas mais movimentada no período, aumentando 16% em relação a janeiro a setembro de 2019. O Brasil assinou um acordo com a China no final de 2019 que permitiu a exportação de melão para o país asiático. Em troca, os chineses conseguiram vender peras para o mercado brasileiro. Os atos foram assinados após encontro bilateral dos presidentes Jair Bolsonaro e Xi Jinping, no âmbito da XI Cúpula do BRICS, em Brasília. O acordo de exportação de melão é simbólico, pois é o primeiro acordo com a China em relação a frutas.

Fontes: Freshplaza e DataMar News

Publicidade